top of page

No Reino Unido, probabilidade de compra é maior para as marcas que patrocinam esportes femininos

Público está 16% mais propenso a comprar de empresas parceiras do esporte feminino, em comparação com 13% envolvido com o esporte masculino.


60% concordam que os patrocinadores devem investir tanto no lado masculino quanto no feminino de um esporte que eles apoiam


63% das mulheres concordam que as marcas que patrocinam um esporte devem dar uma cobertura igual.


29% pensam mais favoravelmente em marcas que apoiam o esporte feminino por meio de patrocínio, em comparação com 17% que apoiam o esporte masculino.

Uma nova pesquisa do Women's Sport Trust (WST) mostrou que o esporte feminino é parte fundamental do mix de patrocínio esportivo, com 60% do público do Reino Unido acreditando que as marcas devem investir tanto no esporte masculino e quanto no feminino.


O estudo revelou que 24,5 milhões dos adultos estão cientes de qualquer patrocínio esportivo feminino no Reino Unido, com acordos exclusivos para mulheres se tornando populares devido à sua capacidade de atrair novos públicos e gerar afinidade com a marca.


O relatório também constatou que 63% das mulheres concordam que as marcas que patrocinam um esporte, devem dar o mesmo nível de cobertura para times masculinos e femininos. Além disso, 29% pensam mais favoravelmente em empresas ou marcas que apoiam o esporte feminino por meio de seu patrocínio, em comparação com 17% que apóiam o esporte masculino.


Além disso, 16% da população do Reino Unido tem maior probabilidade de comprar de uma marca que patrocina esportes femininos, em comparação com 13% que patrocinam esportes masculinos.


De acordo com o WST, os patrocínios de alto nível do esporte feminino estão alcançando uma conscientização significativa. O estudo demonstrou que 14,6 milhões de pessoas estão cientes do patrocínio da O2 ao time feminino de rúgbi da Inglaterra, Red Roses, e 14,4 milhões estão cientes do patrocínio da Coca-Cola à Copa do Mundo Feminina da Fifa.


Normalmente, são os homens e os ávidos fãs de esportes femininos que têm maior probabilidade de conhecer o patrocínio esportivo feminino, mas a pesquisa também destaca como os recém-chegados ao patrocínio feminino estão gerando afinidade com a marca especificamente das mulheres.


A pesquisa também destaca o impacto positivo que os recém-chegados à marca atraídos por negócios exclusivos para mulheres estão recebendo em suas parcerias. De fato, 53% dos que estão cientes da parceria da marca de maquiagem Il Makiage com o Arsenal, clube da Women's Super League (WSL), e 52% dos que estão cientes da parceria da Gucci com a estrela do futebol inglês Leah Williamson, disseram que se sentiram mais positivos sobre as marcas como resultado.


O estudo observou que a parceria de Il Makiage com o Arsenal foi mais bem-sucedida em impulsionar a reputação da marca, com 31% do público que conhece o patrocínio, estão mais propensos a considerar a compra, em comparação com uma média de 20% no patrocínio esportivo feminino. .


Um compromisso com o apoio igualitário ao esporte masculino e feminino e o foco em abordar a desigualdade de oportunidades oferecidas a mulheres e meninas em esportes de base também foi considerado o mais impactante na geração de um sentimento positivo em relação à marca patrocinadora.


Quarenta e sete por cento disseram que as ativações focadas no esporte comunitário e de base teriam um impacto mais positivo na percepção da marca. Além disso, 45% disseram que as ativações que promovem a sustentabilidade e as iniciativas ambientais teriam um impacto positivo, desafiando os detentores de direitos a criar pacotes que forneçam uma plataforma para as marcas ativarem o patrocínio neste espaço.


Os fãs também estão ansiosos para que as marcas desempenhem um papel na celebração do brilhantismo dos atletas em campo, com 38% acreditando que as marcas devem produzir conteúdo que promova o esporte.


O relatório concluiu que, tanto no esporte masculino quanto no feminino, os patrocínios com foco em atividades comunitárias e de base têm maior probabilidade de gerar recomendação e consideração da marca patrocinadora, com o esporte feminino sendo considerado um pouco mais eficaz do que o masculino.


Dois em cada cinco gostariam de ver mais marcas envolvidas no patrocínio de esportes femininos em nível comunitário ou de base, subindo para três em cinco entre as fãs ávidas de esportes femininos e fãs de futebol feminino.


“Esta nova pesquisa demonstra claramente o impacto positivo que as marcas podem obter se investirem no patrocínio esportivo feminino”, disse Tammy Parlour, diretora executiva e cofundadora da WST.


“Para tornar o esporte feminino mais sustentável a longo prazo, esperamos que os detentores de direitos possam aprender com esses resultados e produzir oportunidades criativas de parceria. Esses dados devem fornecer confiança ao setor de que as marcas podem ter resultados tangíveis em uma variedade de métricas, sem as restrições de ativação que geralmente ocorrem no esporte masculino”.


Jon Long, diretor administrativo da Onside no Reino Unido e Oriente Médio, acrescentou: “Esta pesquisa afirma o valor de marketing do patrocínio esportivo feminino e, mais importante, move a conversa do investimento para a ativação.


“O público britânico, particularmente os jovens adultos e os ávidos fãs de esportes, querem que as marcas sejam mais ousadas e amplas em sua ativação de patrocínios esportivos femininos.”


Fonte: Sports Pro UK



22 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page